ç

O que você está procurando?



Fechar

Carregando...

Insumos e equipamentos para diagnóstico - Cromonew UTI Pct C/10 Biplacas 90 x 15 Newprov

Produto indisponível
REF: PA49
R$ 73,60
caminhao Calcular prazo e entregas
 
Ver mais formas de pagamento
Parcelas Valor parcela Valor total
à vista R$ 73,60 R$ 73,60
3b6a464a_37c7_44f9_ac07_06d6459d5e56_jpeg_1354523686

Informações detalhadas sobre o produto

CROMONEW UTI
Meio de cultura cromogênico para isolamento e identificação presuntiva de ropatógenos.
NOME TÉCNICO
Ágar de cultura cromogênico para urocultura.

APRESENTAÇÃO
Pacote com 10 biplacas 90x15mm – Cód. PA49

COMPOSIÇÃO
Peptona especial: 15,0 g/L; Mistura cromogênica: 2,45 g/L; Ágar bacteriológico: 15,0 g/L; Triptofano: 2,0 g/L; Água purificada: 1000 mL.

ARMAZENAMENTO
Conservar o produto em temperatura de 2 a 8º C.
Válido por 120 dias após a fabricação.
Verificar o prazo de validade na embalagem.
Nunca utilizar produtos com validade expirada.

TRANSPORTE
O produto pode ser transportado em temperatura ambiente (10 a 30º C) por até 120 horas.

CUIDADOS ANTES DO USO
Remover o produto da refrigeração até atingir a temperatura ambiente. Evitar aquecer para não comprometer a ação dos substratos cromogênicos.
Verificar o prazo de validade na embalagem.
Nunca utilizar produtos ressecados ou contaminados.
Por tratar-se de material estéril, manusear o produto utilizando equipamentos de proteção individual (luvas, avental e máscara) em ambiente com assepsia de preferência em cabine de segurança biológica classe II.
Evitar a exposição excessiva à luz a fim de não ocorrer degradação dos substratos cromogênicos.

MATERIAIS E EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS NÃO FORNECIDOS COM O PRODUTO
- Alças calibradas 0,01 mL e 0,001 mL , (PA 272 ou 278 e PA 271 ou 277);
- Frascos estéreis para coleta das amostras;
- Estufa microbiológica;
- Fluxo laminar;
- Bico de Bunsen;
- Reativo de kovacs (PA233, 234 ou 235);
- Kits para identificação bacteriana (enterobactérias PA 118, 119 e 124 ou Rugai PA 114 e 121), quando necessário.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
A urocultura é o exame mais realizado no setor de microbiologia e os meios cromogênicos oferecem vantagem quando comparados com outros meios utilizados para isolamento e quantificação de bactérias implicadas em infecções urinárias, pois torna as identificações mais rápidas. A morfologia, o tamanho, a coloração da colônia e a pigmentação ou descoloração do meio permitem a identificação presuntiva dos principais uropatógenos com um mínimo de testes confirmatórios, além de facilitar a visualização de crescimento misto.
O Cromonew UTI é uma alternativa que visa otimizar e agilizar a identificação presuntiva dos principais agentes patogênicos, pois possui em sua formulação substratos cromogênicos artificiais que são clivados por enzimas produzidas por Enterococcus spp, Escherichia coli e demais coliformes, originando compostos coloridos que possibilitam a diferenciação das colônias de acordo com a bactéria presente.
O meio é deficiente em eletrólitos, prevenindo, assim, a produção de swarming pelo Proteus spp., sem inibição significativa dos principais uropatógenos. A presença de triptofano e fenilalanina na fórmula permitem a detecção da atividade de triptofano-desaminase, características de Proteus, Morganella e Providencia.

- FINALIDADE
Meio de cultura cromogênico para isolamento e identificação presuntiva de uropatógenos.

- AMOSTRA
Urina obtida, preferencialmente, por micção espontânea (jato médio), em frasco estéril de boca larga, embalado individualmente e identificado. Outras tipos de amostras incluem: Coletor infantil, punção suprapúbica e sonda.
O paciente deverá receber as seguintes instruções:
1- Lavar bem os genitais externos com água e sabão;
2- Retirar o excesso de sabão com uma gaze úmida;
3- Abrir a tampa do frasco, com cuidado para não tocá-lo internamente;
4- Desprezar o primeiro jato de urina e colher, diretamente no frasco, a porção intermediária;
5- Fechar bem a tampa e enviar o material ao laboratório em até 30 minutos.
Se a amostra for colhida de madrugada, deverá ser refrigerada entre 2 e 8ºC até o momento de transportá-la ao laboratório.
Para a coleta de urina de recém-natos e crianças pequenas deve-se utilizar coletor apropriado:
1- Após higienização dos genitais coloca-se o coletor.
2- Aguardar até a criança urinar. Caso a criança não urine dentro de 30 minutos a higienização deverá ser repetida e o coletor deverá ser trocado.
Repetir o procedimento por quantas vezes for necessário. A hidratação da criança auxilia na coleta, bem como o horário (próximo ao amanhecer).
técnica ideal de coleta, o clínico deve analisar a necessidade de realizar esse procedimento invasivo.
Coleta de pacientes com sonda, a amostra deverá ser tomada com seringa e agulha do tubo de látex que conecta a bolsa à sonda, após a devida assepsia prévia.
ESTABILIZAÇÃO E ARMAZENAMENTO
A urina que não for transportada ao laboratório em até 1 hora ou semeada dentro de 2 horas após a coleta, deverá ser refrigerada até o momento da semeadura, podendo permanecer nestas condições por no máximo 24 horas. Nota: Alguns laboratórios adotam como critério de aceitação a urina refrigerada em até 12 horas.
ENVIO DA AMOSTRA
Caso a amostra não possa ser transportada ao laboratório em até 1 hora, pede-se para envolver o frasco estéril em saco plástico ou bolsa térmica com gelo artificial rígido reutilizável ou cubos de gelo.
MATERIAIS INADEQUADOS
Jato primário de urina; amostra colhida sem higiene prévia; amostra em frasco não estéril; urina colhida com coletor e contaminada com fezes; amostras de coletores infantis que permaneceram por mais de 1 hora aderidos à criança; amostra colhida com menos de 4 horas antes da última micção (p.ex.:2ª da manhã), aceitar apenas em situações das quais o paciente não consiga reter a urina; amostra colhida da bolsa coletora de pacientes com sonda.
Por tratar-se de material biológico, manusear a amostra clínica de acordo com as normas de biossegurança e utilizar equipamentos de proteção individual (luvas, avental e máscara) de preferência em cabine de segurança biológica classe II.
- TÉCNICA DE USO
INOCULAÇÃO
1- Homogeneizar bem a amostra de urina e tomar 1µL do material (ou 10 µL, dependendo da densidade bacteriana visualizada na gota de urina não centrifugada e corada pelo Gram), submergindo a alça calibrada perpendicularmente e logo abaixo da superfície da amostra;
2- Descarregar a amostra tomada com a alça calibrada na superfície do ágar, inoculando o meio com uma estria central de uma borda a outra da placa e depois com estrias perpendiculares a esta, possibilitando assim a obtenção de colônias isoladas.
INCUBAÇÃO
Incubar as placas semeadas por 18 a 24 horas a 35º ± 2º C. Evitar exposição à luz durante a incubação para não inativar os substratos cromogênicos (após o desenvolvimento da cor a exposição à luz não é prejudicial)

LEITURA E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS
Conforme instruções de uso do meio.
CONTAGEM DE COLÔNIAS
Contar o número de colônias de aspecto idêntico que cresceram na placa e multiplicar pelo fator de diluição (1000 para alça de 1 µL ou 100 para alça de 10 µL). O resultado obtido será expresso em UFC/mL. Contagens superiores a 105 UFC/mL, geralmente são significativas e entre 103 a 105
UFC/mL, requerem
interpretação individualizada.
O crescimento de duas ou mais espécies também requer interpretação individualizada.

INTERFERENTES
O uso de antibióticos e diuréticos poderá diminuir sensivelmente a contagem de colônias. Amostras colhidas inadequadamente poderão apresentar contaminação bacteriana pela microbiota da uretra e/ou da região vaginal. Amostras não refrigeradas poderão apresentar um sobrecrescimento de bactérias contaminantes, induzindo a resultado falso positivo.

ESPECIFICIDADE
Contagem e crescimento de micro-organismos aeróbicos como as Enterobacteriaceae, Pseudomomas spp. e outros bastonetes gram-negativos não fermentadores, enterococos, estafilococos, Candida spp. entre outros uropatógenos.
A identificação presuntiva de Escherichia coli apresenta especificidade superior a 97%.
LIMITE DE DETECÇÃO
Estudos demonstram uma variação entre 5 a 9% de Escherichia coli sem formação de pigmento ou aparecimento tardio (após 24 horas de incubação). Nestas situações, recomenda-se executar a identificação através de testes bioquímicos em kits específicos e, paralelamente, deixar a placa em estufa para confrontar o possível surgimento tardio com a leitura da identificação.
O meio foi desenvolvido e destinado para análise exclusivamente de urina.

DESCARTE DO PRODUTO E DA AMOSTRA
Descartar o produto e a amostra de acordo com o programa de gerenciamento de resíduos do laboratório.
* Para o produto sem contato com a amostra seguir o plano de gerenciamento de resíduos químicos.
* Para a amostra e produto com amostra seguir plano de gerenciamento de resíduos infectantes ou possivelmente infectantes.
* Após incubação o produto deverá ser autoclavado a 121º C por 30 minutos e descartado em lixo apropriado.

Produto Indicado para uso profissional em: Hospitais, Ambulatórios, Laboratórios, consultórios e Clínica

REGISTRO NO MINISTÉRIO DA SAÚDE:
10287910067

Fabricante
Newprov